segunda-feira, 5 de junho de 2017

quarta-feira, 12 de abril de 2017

quinta-feira, 16 de março de 2017

Conto do Leitor | Um Relacionamento Diferente

O relato a seguir pertence a nossa querida seguidora mais devota, Paola... Estou repassando a história exatamente como chegou até mim, sem nenhuma alteração gramatical. 

Estou saindo com uma pessoa e coisas o interessantes vem acontecendo. 
Pra início, quero dizer que estou em um relacionamento diferente dos que já tive. Estamos sintonizados, mas sem pressão. Estamos nos vendo de 1 a 3 vezes por semana e todo encontro pega fogo. Pois bem, como já disse algumas vezes aqui nos comentários sou muito direta e gosto das coisas bem claras. Na nossa segunda saída juntos, logo veio o famigerado assunto: "O que você gosta na cama? Tem alguma vontade?" Acredito que ele não soubesse onde estava se metendo ao fazer esta pergunta... Comecei com meus fetiches leves, fui perguntando dele e o assunto fluiu. Ele me deixou sem jeito de falar que minha tara MOR era com cigarro. Logo eu que não tenho medo de falar, travei. Continuamos conversando e na saída do restaurante, antes de irmos para o carro, eu acendi um cigarro e pedi para ele fumar comigo. Ele fuma também mas não todos os dias. Ele acendeu um cigarro e ficamos conversando. Aquela era minha deixa para puxar o assunto novamente e me entregar! Falei que o cigarro me atraia. Que exercia algo muito grande em mim. Algo capaz de me transformar em outra mulher. Ele ficou achou um pouco estranho mas entendeu perfeitamente. Pouco antes ele havia me contado um fetiche seu. E, digamos, não era dos mais comuns! Então ficamos quites na história. 
A conversa rendeu tanto que ele pediu para eu fumar outro cigarro. Claro, obedeci. Então ele me disse que realmente, olha do agora com essa visão, eu estava fumando de forma sexy. Acredito que alguns homens "sintam" isso ao ver uma mulher fumando elegantemente. Porém, não sabem descrever o momento.
Decidimos ir para o apartamento dele assistir um filme. Claro, o filme era pretexto. Mas eu já me excitava com o pensamento de que ele sabia meu segredinho. Chegamos, subimos, e... Mal a porta abriu começamos a nos beijar! Breve pausa: preciso dizer o fetiche dele para fazer sentido. Ele me confessou que é louco por mulheres com unhas grandes e que gostaria de ver uma mulher com tais unhas masturbando dele. Olha, não sei o que encontrou o que nos nossos fetiches, mas eu não saio sem minhas unhas de gel. Logo, estava com minhas unhas enormes e ele, claro, doido.
Voltamos aos amassos... Ele disse que era hora de trocarmos os fetiches, de nós satisfazermos a vontade do outro. Como eu adoro a franqueza no sexo! Prontamente mandei (já falei que sou mandona aqui) ele sentar no sofá. Tirei a calça dele e acendi um cigarro. Comecei a chupa-lo devagar enquanto fumava e pouco depois apaguei o cigarro. Tenho um fetiche muito grande em que gostaria de ver o homem gozar em um cinzeiro cheio de cigarros meus (isso eu não havia contado a ele). Continuei batendo pra ele e acendi outro cigarro. Ele estava doido de tesão então resolvi sentar no colo nele e acalmar a fera! Ele queria novamente a minha mão lá. Mas eu queria o cinzeiro cheio então ganhei tempo com isso. Foram uns 8 cigarros (fumando um pouco e apagando) e fiquei satisfeita com a quantidade. Voltei minhas mãos ao pau dele e não demorou muito até eu ouvir um "tô quase gozando". Falei que ele iria gozar no cinzeiro cheio de cigarros enquanto eu batia para ele. O prazer dele foi tanto que ele explodiu e quase não deu tempo de eu posicionar o cinzeiro em frente. Mas no final, lá estava. Meus cigarros apagados e gozados... Um prazer enorme subiu em mim! Pedi pra ele "me finalizar" com um oral enquanto eu fumava. Não deu tempo de terminar o primeiro cigarro e tive o orgasmo mais gostoso em tempos... 
No outro dia a sensação de realização e de que queria mais daquilo surgiu muito forte. Mas ele tinha trabalho. Eu não! Então, ficamos eu e meus cigarros no apartamento dele. E foi muito bom!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Enfim, 2017!

Olá minhas pessoinhas tão queridas, nem sei se vocês ainda existem, mas passei por aqui porque senti uma necessidade enorme de falar sobre sei lá o que. A minha vida mudou um pouco, estou solteira novamente e tenho me aventurado outra vez. O Marlboro Vermelho sumiu da minha vida por 1 mês e meio, mas agora voltou com toda intensidade encantadora de sempre. 
Me redescobri como pessoa durante esse tempinho em que estive desaparecida, mudei um pouco a aparência, emagreci 3 kg e pretendo perder mais 7. Consequentemente, estou um tantinho mais saudável e plenamente realizada com as funções que tenho desempenhado por aqui. No trabalho, tudo tem acontecido melhor do que eu esperava... 
Tentarei escrever aqui todas as quintas e domingos... Porque toda minha diversão acontece
entre esses dias, então é mais fácil organizar as ideias. 

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Foto do Dia


Conto do Leitor | Desejos

Há cerca de um mês atrás me senti muito instigada a fazer algo que por algumas vezes imaginei mas nunca tive coragem de ir até o final. Estava no caminho do trabalho até minha casa e decidi: Vou chamar um garoto de programa e faze-lo realizar vários desejos meus.
Confesso que quando decidi fazer, minhas pernas tremeram. Era um desejo, mas algo que nunca pensei concretamente em fazer. Por vários motivos. Mas quando decidi, essa sensação de novidade, de desejo, de escolher quem, como, onde, o jeito, o que eu quisesse, me levaram de forma incrível. Não sou nenhuma "recalcada" nem nada. Pelo contrário, sou aberta e sempre tive bons relacionamentos. Me considero uma pessoa legal, bonita e moderna. Como toda mulher, gostaria de perder alguns quilos, mas nada que eu não possa viver sem. Somado a tudo sou solteira e independente. Pensei: Não preciso de mais nada, vou fazer!
Cheguei em casa e corri para pegar o notebook. Pesquisei por alguns minutos e achei váááários! Queria todos mas, só poderia escolher um... Me empolguei e logo bateu uma vergonha interna, pois pensei que ao ligar teria que pedir se ele se importaria em fumar para mim. Sim, óbvio, esse é um dos meus fetiches! Claro que eu também queria fumar antes, durante, pós... mas precisava ter a certeza de que a pessoa aceitaria, né? Então, escolhido o "homem da noite" eu tomei coragem e liguei. O valor estava um pouco alto, mas me pareceu uma pessoa "normal". Nada de ser forte demais ou metido demais. Do jeito que eu queria. Quando ele atendeu confesso que travei de vergonha, mas aos poucos fui falando. Contei do meu fetiche e ele disse que o faria sem problemas e pediu apenas para que eu comprasse o cigarro (bobo, como se eu já não tivesse!). Falei por cerca de 2 minutos com ele e marcamos às 22h no meu apartamento. Após marcar bateu uma euforia misturada com arrependimento. Mas no fundo a sensação era gostosa demais!
Corri para organizar minha bagunça do dia-a-dia e depois tomar um banho. Organização feita, fui me banhar. Maquiada, saltão, vestidinho curto, batom vermelho... Acendi um cigarro para me acalmar, mas não consegui. Fumei 3 cigarros em sequência e as horas pareciam não passar...


22:07h


Jamais esquecerei este horário. Meu celular tocou e ouvi um delicioso: 

— Estou aqui, posso subir? 

Congelei! Travei! Ele estava subindo! O que eu iria fazer? Partir pra cima dele como uma louca no cio? Conversar? O que?

Quando ele entrou, me cumprimentou educadamente, sem forçar nada e sentou-se. Conversamos por alguns poucos minutos e ofereci um vinho ou cerveja. Ele aceitou a cerveja (ponto pra ele pois isso não seria um encontro romântico) e quando fui entregar o copo ele emendou: 

— Beber sem fumar não dá, né?

Geeeente, morri duas vezes! Com vergonha e sem jeito lhe dei o maço de Marlboro Vermelho para que pudesse fumar e... e... ele o fez lindamente! Adoro quando prestam atenção no que falo. Na nossa curta ligação telefônica comentei rapidamente o que me atraia em homens fumando e ele fez exatamente assim. Nesse momento, me senti obrigada a acender um. E após faze-lo ouvi ele dizer que adorou meu "pedido especial" (fumar) e que estava muito a vontade. Coloquei uma música bem baixa e me sentei ao lado dele enquanto fumávamos. Sofri um breve interrogatório sobre meus desejos ocultos e, claro, tirei algumas dúvidas sobre ele. Eu fiquei um pouco tímida em perguntar qual era o "tamanho" do que me esperava. Pois quando o cumprimentei (mulheres me entenderão) não senti muito volume. Mas questionei e ele disse:

— Acredito que exatamente do tamanho que você espera.

Aí, aí, aííí... Ele me disse que não havia saído com ninguém naquela noite e que tomava viagra sim, quando não se sentia motivado ou após a primeira mulher da noite. Como eu fui a primeira, fui a felizarda. Ele percebeu minha timidez e partiu pra cima de mim. Não me controlei! Lembro que quando começamos a nos beijar e toda a minha timidez escorreu, só existia nós dois. Perdi o medo e aquela trava caiu. Pedi para que ele tirasse a roupa e que me observasse fumar e fosse falando se gostava. Ele sentou-se numa cadeira e me observou com desejo... a partir daí a noite seguiu intensa. 
Foram 3 horas de desejos contidos jogados pra fora. O cinzeiro cheio, quase dois maços de cigarros e minha voz rouca no final de tudo mostravam pra mim o que havia acontecido. Ele foi embora e disse que gostaria de voltar. Claro, normal da parte dele. Ele vive disso. Sentimento pode ocorrer, mas é uma situação delicada. Eu estava com uma barreira anti-amor. Queria sexo e queria sexo do meu jeito! E assim foi.
Tomei um banho, troquei a cama e deitei. Estava leve, com sono... morta! Me sentindo suja, mas feliz! Não queria pensar em outra coisa a não ser no que havia acontecido. Quando meu despertador tocou no outro dia, a vida seguiu... Mas esse gostinho de quero mais, nunca passa!

Nota do Autor: Espero que gostem e se identifiquem. Se abram e se aceitem. Hoje penso diferente graças ao que fiz. Quero viver! Quero existir do meu jeito e sem medos. 
                                                                                                                       
                                                                                                                         Um grande beijo a todos.